Blog Player

quarta-feira, 21 de março de 2018

Saideira















Saideira (Marcos Bassul)

Bateria - Ronaldo Gaffa
Contrabaixo - Oswaldo Amorim
Teclados - José Cabrera
Trumpete - Moisés Alves
Voz e violão - Marcos Bassul

Gravação informal feita ao vivo
no Teatro do Guará - Brasília(DF) em 2011.

Saideira no Spotfy: https://open.spotify.com/album/0LgLw52GABpyCzYeL2NEl0?si=HASKjajqTsK3YalZ66D_Cw



www.marcosbassul.com.br

quarta-feira, 14 de março de 2018


Boa tarde!

Se você é músico ou gosta de música ou trabalha com música, visite a minha página no Facebook e, se achar que vale a pena, siga e tenha acesso ao meu trabalho e a dicas de música em geral, produção, marketing digital e muito mais.

https://www.facebook.com/marcosbassulface/

Ah, sim! Se gostar das músicas me siga também no Spotfy e vai ajudar muito na promoção de minhas canções:

https://open.spotify.com/artist/00zchtB9RvjgicESElIr0g?si=MOorluxXSwen-hLAaSiU_w

Obrigado!
www.marcosbassul.com.br


terça-feira, 13 de março de 2018

@marcosbassulface

Pàgina no Facebook onde você pode acompanhar posts sobre música em geral, bem como acessar materialnautoral do autor.

https://m.facebook.com/marcosbassulface/


quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

        Já escutei ou já me falaram de quase todas as músicas do meu segundo disco em algumas rádios de Brasília. Nunca entendi porque as duas das que achei que mais iriam tocar não tocam. Agora, observando algumas estratégias, descobri que o  provérbio "casa de ferreiro, espeto de pau" é mais do que certo. Digo isso porque, apesar de falar a respeito nas aulas de História da Música com meus alunos, não percebi o mesmo no meu trabalho. Reproduzo para eles a resposta de um produtor de discos inglês à pergunta de um jornalista sobre como definir "música popular": "a que não ultrapassa três minutos e meio de duração". As duas têm mais de quatro minutos, ao contrário de todas as outras, que giram entre 3 min e 3 min e meio. Espaço de rádio vale dinheiro....Uma pena, porque se pudesse gravar de novo não mudaria nada.