Blog Player

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

        Já escutei ou já me falaram de quase todas as músicas do meu segundo disco em algumas rádios de Brasília. Nunca entendi porque as duas das que achei que mais iriam tocar não tocam. Agora, observando algumas estratégias, descobri que o  provérbio "casa de ferreiro, espeto de pau" é mais do que certo. Digo isso porque, apesar de falar a respeito nas aulas de História da Música com meus alunos, não percebi o mesmo no meu trabalho. Reproduzo para eles a resposta de um produtor de discos inglês à pergunta de um jornalista sobre como definir "música popular": "a que não ultrapassa três minutos e meio de duração". As duas têm mais de quatro minutos, ao contrário de todas as outras, que giram entre 3 min e 3 min e meio. Espaço de rádio vale dinheiro....Uma pena, porque se pudesse gravar de novo não mudaria nada.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Meu canto

Há uns dias me perguntaram por que eu cantava.

Meu canto

Eu canto para aplacar a fome
dos intelectos desabrigados
para limpar meu corpo
da fumaça do carro e do cigarro
Eu canto para elevar o nível do sentimento
para me impregnar de melodia
de notas que voam na companhia do tempo
do tempo que passa da noite pra o dia
eu canto pra enfrentar a fera
indomada, pungente
pra me ausentar do tempo presente
do sono passado
eu canto porque
o som é o meu elemento
o ar é meu combustível
e a minha voz é amiga
da palavra que dança

Marcos Bassul/2017

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Aviso

Bom dia

A partir de agora os seguidores e visitantes terão acesso a um Music Player com as canções de Marcos Bassul. Você pode ouvir e/ou adquirir as músicas do cd Acústico ma non tropo e outras. Espero que curtam e, se gostarem, compartilhem, por favor.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

News

Mudanças na Escola de Música de Brasília

Diretor da Escola de Música de Brasília, Ayrton Pisco, e o vice, foram afastados por sessenta dias pela Corregedoria Educacional da Secretaria de Educação do DF em virtude de investigações referente aos últimos dois anos de gestão. Esse fato pode sinalizar boas mudanças na Escola, que anseia pela saída do diretor desde que foi eleito. Grande parte dessa confusão está relacionada aos dois últimos Cursos de Verão, que foram realizados apesar de diversos avisos dos professores sobre a descaracterização da Escola e o "mau" uso de enormes recursos a eles destinados naqueles dois anos. Vamos ver quem vai assumir a condução e aí poderemos saber se, pelo lado pedagógico, a Escola será beneficiada ou destruída de uma vez. Ainda estamos de olho!